quinta-feira, 25 de março de 2010

A delícia do teu corpo



"Agora eu sei porque tanto busco o teu corpo
Agora entendo porque o meu corpo grita e anseia tanto pelo teu corpo.
É que o teu corpo tem o cheiro do desejo,
O gosto do pecado que vicia,
A malícia que desperta a sexualidade adormecida
O fogo da paixão ardente
O prazer que só ele me propicia.

Agora sei que não mais vivo sem o teu corpo,
Assim como sei que o colibri não vive sem o néctar da flor
Depois que senti do teu gosto
Não consigo me desprender desse torpor.

Teu corpo tem o frescor das manhãs,
O calor dos vulcões,
A inocência de uma criança,
O gosto irresistível das maçãs."

 

Tony Fraga

Nenhum comentário: