terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Penetro-te



Penetro-te o corpo,
Rasgo tua alma,
Defloro o teu desejo,
E violo teu pensamento...
Grito, garganta travando, o teu nome...
Sou o teu homem que te come
Em tropeços e afagos
De dengos, carinhos, carícias e puro amor...
Penetro-te minha vida,
Minha alma,
Minha lira,
Meu agito e minha calma...
Invado teu jardim,
Como tuas pétalas e gramas,
Incendeio todas as nossas camas,
Rasgando lençóis...
Desfazendo os nós e barreiras que a vida te impregnou...
Meto... boto em ti o meu amor,
Seguro-te forte,
Faço-te uivar de dor...
Penetro-te com fúria o meu calor,
Até o fundo,
Levo-te pra fora desse mundo,
Faço chover suas lágrimas por dentro e por fora,
Faço nascer amor dentro de ti,
Por ontem, por amanhã e por agora!

Júlio Nessin

Nenhum comentário: