segunda-feira, 17 de agosto de 2009

"Chegue perto.
Diga coisas úmidas em meu ouvido.
Geme baixinho,
Encaixe gostoso seu corpo no meu.
Deixa-me ser ordinária,
Atrevida,
Tímida,
Requintada.
Misture seus palavrões
Aos meus sussurros de poesia.
Faça-me rasgar lençóis de seda,
Conter meus gritos de prazer
Em beijos molhados.
Chegue perto.
Deixa-me ser gata selvagem,
A gemer,
Gritar,
Uivar no fogo do prazer,
Do desejo...
Vem...
Vem gostoso,
Deixa-me te arranhar,
Morder,
Lamber,
Sugar...
Deixa-me sentir a textura de sua pele,
O gosto de seu desejo,
O calor de seu corpo.
Vem...
Vem depressa,
Não me faça esperar!...
Deixa-me sentir seu corpo me invadir,
Mergulhar,
Penetrar...
Vem...
Deixa-me cair em êxtase,
Em clímax,
Em ápice do gozo fenomenal."

Nenhum comentário: