quarta-feira, 24 de junho de 2009

um avião em teus seios desocupados

um guindaste em tua boca alerta

um passo de arco-íris correteu pulso

dá-me teu bilhete

oh como voo te gosto de viajar!

um motor faz entre tuas coxas

hossana! é sangue o côncavo do teu lugar

um avião em teus seios desocupados

um guindaste em tua boca alerta

um passo de arco-íris correteu pulso

dá-me teu bilhete

oh como voo te gosto de viajar!

um motor faz entre tuas coxas

hossana! é sangue o côncavo do teu lugar

sonho

sobre a cama

um monte assoma

gigante

perfeito, reto

relva baixa

cerrada

gramíneas negro-ruivas

paralelas;

ao meio o mar

vermelho

pernas, peitos

hipérboles em profusão

inexatas

com o colchão

a reta

irá se perder

no infinito

ao último grito

afogado em leite e mal

duvido que haja

travesseiros mais bonitos

sonho

sobre a cama

um monte assoma

gigante

perfeito, reto

relva baixa

cerrada

gramíneas negro-ruivas

paralelas;

ao meio o mar

vermelho

pernas, peitos

hipérboles em profusão

inexatas

com o colchão

a reta

irá se perder

no infinito

ao último grito

afogado em leite e mal

duvido que haja

travesseiros mais bonitos

Fosse a tua bunda o meu descanso

E o meu falo te servisse de guarida

O guerreiro, de voraz, iria manso

Se renderia, entregaria a própria vida

Que se espera, então, de fêmea e macho

Senão o orgasmo profundo e infiel

De amar mais o outro que a si?

Se entre tuas coxas eu me encaixo

É o teu gozo, purgatório, inferno e céu

Imortalidade que podemos possuir

sábado, 20 de junho de 2009

Domina-me,
Ou eu te alucino,
Faço-te prisioneiro
No meu labirinto,
E com todo cuidado,
Deixo-te apaixonado...
Domina-me,
Ou será minha presa,
Te sondo,
Te caço,
Te faço surpresa...
Do amor.
Domina-me,
Ou eu me entrego,
Ao seu charme...
Cheia de desejos me revelo,
Com toda a calma te beijo...
Meu corpo do seu aproximo,
E por fim...Eu te domino.
(D.A)
Domina-me,
Ou eu te alucino,
Faço-te prisioneiro
No meu labirinto,
E com todo cuidado,
Deixo-te apaixonado...
Domina-me,
Ou será minha presa,
Te sondo,
Te caço,
Te faço surpresa...
Do amor.
Domina-me,
Ou eu me entrego,
Ao seu charme...
Cheia de desejos me revelo,
Com toda a calma te beijo...
Meu corpo do seu aproximo,
E por fim...Eu te domino.
(D.A)



Vem
Me rouba de mim, me joga na cama,
Me ama, me doma,
Se apossa e toma o que é seu
Sente meu gosto e me coma com gosto
Quero sua língua entre as minhas pernas
Quero-o inteiro sentindo meu cheiro
Prova meu sabor, me l
ambuza com fervor
Me faz gozar de tanto me chupar
Da sua boca engulo o meu mel
E com a minha boca o levo ao céu
Engulo-o todo e o deixo zonzo e
Na minha boca eu quero o seu gozo
Vem
Mistura com a minha saliva
O seu gozar e o nosso prazer
De me ver rendida, saciada,lambuzada e
Por você
Meu Lobo e
Meu Dono
Completamente apaixonada
Tarada e a Sua safada!
(D.A)



terça-feira, 16 de junho de 2009

De redondo cu


"De redondo cu

eu cúbica te quero

como cólera química ou paz comum

que nada tão navega

a tua nádega núbica

de redondo nenúfar

nu furioso.

no volume do cu

velo o teu lume

ocioso cio de culher

nos colhões que te encosto pelas costas no cu que te descubro

pelo olhono volume que rasgo

pela velado duro coração na comução

de ter-te pelas tetas

colocada na posição

decúbita

colada

da comunicação."

E. M. de Melo e Castro

De redondo cu


"De redondo cu

eu cúbica te quero

como cólera química ou paz comum

que nada tão navega

a tua nádega núbica

de redondo nenúfar

nu furioso.

no volume do cu

velo o teu lume

ocioso cio de culher

nos colhões que te encosto pelas costas no cu que te descubro

pelo olhono volume que rasgo

pela velado duro coração na comução

de ter-te pelas tetas

colocada na posição

decúbita

colada

da comunicação."

E. M. de Melo e Castro
vi aquela bundinha e me enxi de tesão e comecei a passar a mão e ela abriu as pernas
puxei a calcinha pro lado e passei o dedo em sua bucetinha que começou a verter o liquido precioso, enfiei um dedo e ela suspirou
enfiei mais um dedo e ela abriu mais as pernas não guentei e falei agora vc vai ser minha putinha
quando ia gozar encostei no cuzinho dela e enxi de porra aquele buraquinho


Ele começou a elogia-lá e beijou seu pescoço, ela arrepiou-se então pegou a mão dele e colocou em seu peitinho ele sem cerimonia curvou-se e começou a chupá-lo, não demorou pra ele começar a tirar calça dela, ele falou no ouvido dela "vou encher essa bunda de tapa e essa coninha de esporra"


Ele baixou a calça e deixou a mostra seu pau e disse-lhe "abaixa e chupa sua puta" ela não queria chupar mas ele lhe deu um tapinha na cara e fez ela abaixar, ela começou meio receosa mas ele forçou sua boca então ela começou a sussurar e lamber o saco mandou ela passar a lingua no pau. Então ele deu um tapa na bunda dela e ela disse “pode bater seu filho da puta”.

Ele deu outro tapa e começou a roçar a pica na bucetinha dela. Nessa altura parecia uma cadela no cio, ela disse “come-me”. Ele então socou na buceta dela que urrou feito louca, ele mandou ela virar de costas e ficar de quatro na cama ela obedeceu.

Podia-se sentir a respiração dela, ele pincelou novamente o pau na grutinha dela só que dessa vez enfiou tudo o caralho nela, ela começou a gemer e rebolar e ele dando tapinha na bunda dela o que deixava ela mais louca ainda.


Ele começou a tirar e colocar quando ela estava quase gozando ele lhe disse voce tem um cuzinho bem delicioso e hoje ele vai ser meu, nisso ele tirou o pau da buceta dela e começou a colocar no cuzinho dela ela mandou ele enfiar tudo e ele obedeceu. ela rebolava igual a uma puta e ele gozou umas duas vezes no rabinho dela.