segunda-feira, 27 de outubro de 2008

SURPRESA
O doce de um bébe

"Já o tínhamos falado...
Ontem foi o dia...
Vieste-me buscar,
Já te tinha dito que esta noite eras Meu !
Saímos,
Fomos jantar restaurante simples,
Os nervos imperavam em mim,
De uma tal forma que achei-me doida,
Mas,
O desejo de te possuir Meu,
Era bem mais forte,
Observar-te os poros,
Beijar-te inteiro...
Queria-te num tanto só Meu,
Que marquei uma noite de luxuria!
Depois do jantar,
Quem conduziu fui eu,
Demos uma volta,
Daquelas sem nexo,
Que até os tolos não fariam,
Mas enfim,
Os nervos imperavam em mim...
Paro o carro,
Dou-te uma venda,
Que acabas por colocar...
Prontos para a surpresa,
Foi conduzindo e baralhando,
Com curvas entre curvas,
Era perto que estávamos...
Mas,
Queria que te parece-se longe...
Parei o carro um pouco antes da entrada,
Era indispensável,
Não queria que ouvisses o pedido,
Depois de tudo tratado na recepção,
Encaminho-me a garagem,
Contigo sempre de olhos vendados...
Encaminho-te....
Entras e te beijo,
Enquanto te tiro a venda,
Olhas !!
Beijas-me !!
Amamo-nos !!
Assim,
Ali,
Onde...
Te beijei por completo,
Onde...
Te possui,
Onde...
Me beijaste,
Onde...
Me fizeste tua,
Onde...
Nos viemos,
No tesão
Que em nos vive !!"

(Doce quero-te muito)

Um comentário:

O Fantasma e o Anjo disse...

Obrigado...beijo e abraço nossos